Guia de viagem para o Egito

Necrópole de Gisé
Necrópole de Gisé

Hoje, eu separei para vocês nosso roteiro de 10 dias pelo Egito! Saiba tudo o que há para fazer na terra dos Faraós! Venha conosco e aproveite!

O Básico sobre o Egito

Onde fica o Egito

Necrópole de Gisé
Necrópole de Gisé

O Egito fica no continente africano, na parte nordeste, fazendo a ligação da África com o Oriente Médio. O país é composto em sua maioria por deserto, e sua população vive praticamente no litoral ou às margens do Rio Nilo, que vem desde o Sudão e corta o país de sul a norte até desaguar no mediterrâneo.

Segurança

Achamos muito seguro visitar o Egito, mas tomamos alguns cuidados básicos, além de estarmos assistidos por um guia privado na maior parte do tempo. Importante dizer, que havia policiamento em todos os locais turísticos, inclusive seguranças privados acompanhando grupos maiores.

Comunicações

Eu costumo sempre indicar o chip da Easysim4U, mas nessa viagem não rolou. Comprei o chip, mas quando chegamos em Israel (nosso primeiro destino) recebi uma mensagem de texto avisando que meu pacote incluía dados ilimitados com velocidade 2G. Como assim 2 G?! Entrei em contato com o suporte várias vezes, pagando ligação DDI com meu número pessoal da Vivo, e o que me disseram foi que era isso mesmo. Então, não recomendo!

Chegada no aeroporto do Cairo, eu comprei dois chips locais, um da Orange e outro da Vodafone. A viagem com os dois transcorreu tranquilamente e eu recomendo qualquer um dos dois. Os guichês ficam em lados opostos no saguão de desembarque, logo na chegada. Os egípcios preferem o da Vodafone, mas não vi muita diferença.

Moeda e economia

A moeda no Egito é conhecida como Libra Egípcia (Egiptian pound, ou mesmo pound), sua sigla é EGP. Um dólar americano valia aproximadamente 16,11 EGP em novembro de 2019. Um Euro valia 17,77.

Bazar Khan El Khalili
Bazar Khan El Khalili

A cotação do Euro e do Dólar é muito parecida, a diferença é que eles arredondam de uma forma que quem estiver levando euros vai perder um pouquinho. Fazendo um exercício simples de conversão, com R$1,00, se fosse levar dólares, você compraria EGP3,86. Na mesma data e mesma fonte, com R$1,00, se fosse levar Euros, no final você teria EGP 3,73. Portanto, recomendo que levem dólares. Neste caso usei os parâmetros do site oanda.com para quem quiser checar.

Religião

A maioria da população do Egito é muçulmana, algo entre 80% e 90%. Mas também existem cristãos Ortodoxos Copta de Alexandria, além de outras minorias. As mesquitas estão espalhadas por todo o país. Algumas pessoas me perguntaram se a religião dos antigos Faraós ainda sobrevive e a resposta é não.

Mesquita Mohammad Ali no Cairo
Mesquita Mohammad Ali no Cairo

Idioma

O idioma oficial do Egito é o Árabe, mas em pontos turísticos você se vira bem com o inglês, as vezes até o espanhol. Contratamos passeios avulsos em Espanhol em agências de turismo (já falarei sobre elas) e a compreensão era tranquila.

Pelas ruas você não encontrará muitas pessoas falando inglês, mas para o básico dá para se virar.

Vistos e Vacina

A rigor, é obrigatória a apresentação do certificado internacional de vacinação contra a Febre Amarela (emitido pela ANVISA) para a entrada no Egito, mas no nosso caso não nos pediram nada.

O visto custa US$25,00 por pessoa (leve dinheiro trocado), e pode ser adquirido na chegada sem complicações. No nosso caso, já estava incluído no pacote. Depois de colar o visto no passaporte, você se dirige ao guichê de imigração e passa por aqueles trâmites tradicionais, onde o agente de segurança checa quantos dias você estará no país, quais as cidades visitará e perguntas afins.

Depois de “entrar” no país, havia outro agente de segurança verificando o passaporte (ele não estava de uniforme, portanto não estranhe). Ali nos fizeram mais algumas perguntas e sem muita complicação nos liberaram.

Economia

A economia do Egito é bem diversificada, mas tem 4 grandes pilares. O primeiro é a indústria do turismo com a visita de milhares de turistas todos os anos, o segundo é a extração de petróleo, o terceiro são os impostos e taxas alfandegárias dos navios que atravessam pelo canal de Suez e por último é a remessa de dinheiro de egípcios que vivem fora do país para os que ficaram por lá.

Quando ir ao Egito?

O clima no Egito não é para amadores, as temperaturas no verão castigam, passando de 50°C em algumas regiões do país. Recomendo fortemente que vocês não viagem para lá nessa época do ano. Algumas pessoas que acompanhamos a viagem tiveram que ficar no hotel boa parte do dia por conta das altas temperaturas.

As melhores épocas para visitação são a primavera e o outono, onde as temperaturas ainda serão altas (mas não tanto) e você conseguirá aproveitar o seu dia. Nós fomos em Outubro, no Cairo a temperatura girava em torno de 30° C durante o dia, em Assuan e Luxor ficavam perto de 40° C. De noite o tempo ficava agradável, com médias de 20° e poucos graus.

Temperaturas no Egito ao longo do ano
Temperaturas no Egito ao longo do ano
Índice Pluviométrico no Egito
Índice Pluviométrico no Egito

Como chegar no Egito?

Nós não temos voos diretos do Brasil ao Egito, então você fatalmente deverá fazer ao menos uma conexão. As principais empresas Européias e do Oriente Médio que voam para cá também possuem voos regulares para lá.

Empresas como Alitália, Emirates, Lufthansa, Royal Air Maroc, TAP, Ethiopian Airlines, Air France, KLM, entre outras fazem este voo. O tíquete médio de passagem comprando com antecedência custa em torno de R$4800,00 podendo passar dos R$6000,00 facilmente.

Fiquem de olho nas promoções que aparecerem, mas prestem atenção na época certa para ir. Ir para lá no verão é um desperdício de dinheiro, pois as temperaturas passam facilmente de 50°C, o que deixa qualquer visita externa insuportável.

O Egito foi o segundo país que visitamos durante nossa viagem. Nós saímos de Israel (tivemos que ir na Grécia para uma conexão rápida) e chegamos no Cairo.

Quanto tempo devo ficar em Egito?

Nós ficamos 10 dias e fizemos um roteiro bastante agradável, visitando o Cairo (3 noites), Assuan (1 noite), Abu Simbel (bate e volta), um cruzeiro no Nilo de Assuan até Luxor (4 noites) e depois novamente no Cairo por mais 2 noites.

Há quem estique o passeio para Hurgada (eu queria muito ter ido, mas não tinha dias suficientes para isso) que é um dos pontos interessantes do mundo para quem pratica mergulho, além de ser um balneário lindíssimo. Também é possível visitar o balneário de Sharm-el-Sheik.

Com 15 dias é perfeitamente possível cobrir todos este pontos interessantes.

Onde se hospedar no Egito?

Nós ficamos hospedados em duas cidades e também em um navio de cruzeiro, enquanto estivemos no país. 

ao reservar seus hotéis usando o nosso link, você não paga nenhuma taxa extra por isso e ainda por cima nos ajuda a trazer sempre conteúdo atualizado para você.

Cairo

No Cairo, ficamos no Steigenberger El Tahrir, na praça de mesmo nome (Tahrir). A rede é alemã e nos surpreendeu positivamente. O hotel era novo, com excelentes quartos, serviços e ótima gastronomia. Tudo de muito bom gosto e com qualidade.

Importante ressaltar, que nós optamos por não ficar na região das pirâmides, exatamente porque lá só haviam hotéis antigos e para além disso, ainda estaríamos isolados em relação aos demais pontos turísticos.

Caso queiram contratar sua hospedagem neste hotel, CLIQUEM AQUI e confiram.

Se o seu desejo for por outras opções de hospedagem, deixo aqui o mapa com ótimos hotéis por toda a cidade.

Booking.com

Assuã/Assuan

Em Assuan ficamos no Movenpick Resort, que é um dos tradicionais hotéis da cidade e fica numa linda ilha no rio Nilo. Para chegar ou sair, você pega um barquinho. Super tranquilo. A pegadinha aqui é que o Movenpick possui duas unidades, uma mais antiga e uma novinha. Prefiram a nova é claro! Caso queiram verificar, CLIQUEM AQUI.

Mais uma vez, deixo o mapinha com todos os hotéis da cidade para te ajudar na procura.

Booking.com

Cruzeiro no Nilo

Essa foi uma parte lindíssima da viagem e imperdível! O cruzeiro pelo rio Nilo é muito agradável. O nosso trajeto foi de Assuan até Luxor, com duas noites navegando pelo rio. O navio faz pequenas paradas para visitarmos os templos de Kom Ombo ( navio para do lado do templo, loucura) e Edfu (aqui temos que pegar um transporte do cais até o templo).

Pôr do Sol durante cruzeiro no Nilo
Pôr do Sol durante cruzeiro no Nilo

Os quartos eram ótimos (tinham mais espaço que os de cruzeiro marítimo que fizemos no passado), a alimentação e o serviço eram impecáveis. Uma coisa a se considerar, é que o cruzeiro em rio é bem mais tranquilo que o cruzeiro marítimo, pois o barco é bem menor.

O tratamento que recebemos de todos os funcionários, em especial do próprio gerente do navio, foi irretocável. Super recomendo!

Importante dizer que existem vários navios fazendo cruzeiro pelo Nilo, uns mais e outros menos luxuosos, então procure saber exatamente por qual está pagando. Nós ficamos no Steigenberger Royale e recomendamos sem medo. Caso queiram conferir, segue o link para a página do navio no BOOKING.

Nosso roteiro de 10 dias no Egito

Cairo (5 dias)

Pirâmides de Gisé 

A visita a este lugar é realmente o que todo mundo espera quando planeja uma viagem ao Egito. As pirâmides ficam em Gizé, que é uma cidade localizada a uns 30 ou 40 minutos do centro do Cairo (se o trânsito estiver bom). As pirâmides foram construídas a milhares de anos e eram usadas para guardar os restos mortais dos antigos faraós, assim como imensas fortunas e objetos dos mais curiosos.

Chegue cedo, de preferência no primeiro horário, pois o movimento de turistas é frenético.

Elas levam os nomes dos Faraós que as construiram, são elas: Qéops, Kefren e Miquerinos. Confesso que eu não estava preparado para a visão. Impossível não ficar em choque com tamanha grandiosidade e se questionar como os antigos egípcios conseguiram naquele tempo construir tão grande obra. A primeira fileira de pedras possui a altura de um humano médio. Impressionante! Nós gostamos tanto que fomos duas vezes. Você pode comprar o seu passeio através do Get Your Guide, veja o que nós contratamos clicando aqui.

Se quiser ver mais opções de passeios no Cairo, confira aqui abaixo.

 

Esfinge

A grande Esfinge, com corpo de leão e cabeça de humano, fica do lado da grande pirâmide de Qéops. A construção data da mesma época das pirâmides. A visita a Esfinge é curta, uma vez que algumas salas que integram essa parte do sítio não estão disponíveis para visitação. A sua visão em composição com a pirâmide é fantástica!

Museu Egípcio no Cairo

O Museu está repleto de Múmias humanas e de animais, jóias, estátuas, quadros e tudo mais que você for capaz de imaginar. O ponto alto do museu é a incrível exposição do tesouros do Faraó Tutancamon. A riqueza dos objetos é de deixar qualquer ser humano de queixo caído, mas de acordo com nosso guia, Tutancamon não foi um faraó tão importante. Ele afirmou que de fato ficaríamos em choque se fosse possível conhecer a tumba de Ranmsés II.

Uma curiosidade, é que está ficando pronto para 2020/2021 o novo museu egípcio, bem perto das pirâmides. Passamos perto e ele já estava em fase final de construção. Lindo!

Cidadela de Saladino

A cidadela foi construída no século XII para defesa da cidade contra os cruzados, ela é uma grande área fortificada no alto de uma montanha. Hoje em dia, ela abriga algumas mesquitas, inclusive a grande mesquita Mohammad Ali, palácios e museus. Dali podemos ter uma vista panorâmica da cidade.

Bazar Khan El Khalili

O Bazar ou mercado, é realmente muito antigo. Ele era usado no passado para recepção de caravanas. Hoje em dia, possui centenas ou milhares de pequenas lojas. Não recomendo a compra de jóias no local, se você não for grande conhecedor de autenticidade. Há também muitos restaurantes por lá, dentre eles o famoso Naguib Mahfouz Café.

Mesquita Mohammad Ali

Ela também é conhecida como a Mesquita de Alabastro e é a maior da cidade. Funciona apenas com propósitos turísticos. Ela está localizada no interior da cidadela de Saladino. O local foi construído entre 1830 e 1857 sob ordem de Mohammad Ali em homenagem ao seu filho mais velho, falecido em 1816.  O ingresso custa EGP140.

Mesquita Al-Hakim

Este é o principal sítio religioso do Cairo, mas hoje ela funciona como um local sagrado. Ela também é conhecida como Mesquita de Aláqueme e foi batizada em homenagem ao Imam Aláqueme Biamir Alá. Ela foi originalmente construída para ser uma prisão para o vizir Gawhar Al-Siqilli.

Bairro Copta

O Bairro Copta faz parte do Cairo antigo, e é onde vivem os cristãos Ortodoxos gregos. O Bairro é muito conhecido e visitado pois de acordo com a tradição, a família de Jesus teria ficado por ali durante sua fuga para o Egito. Os pontos altos da visita ao bairro são a Igreja de São Jorge, a Igreja Suspensa e Sinagoga Ben Ezra.

Praça Tahrir

Este é um lugar de extrema importância para o Egito, foi ali que ocorreram por exemplo as manifestações da primavera árabe que causaram a revolução no Egito em 2011. Há também vários edifícios famosos e importantes no seu entorno como por exemplo o Museu Egípcio, o edifício Mogamma e o hotel Nile Rotz Carlton.

Bem próximo dali fica a Torre do Cairo, que é um monumento construído em forma de flor de lótus no bairro Zamalék, de onde pode-se ter uma vista panorâmica do Cairo.

Ainda recomendo a visitação aos seguintes pontos:

  • Complexo de Saqqara;
  • Memphis Museum;
  • Parque Al-Azhar;
  • Palácio Amir Taz;
  • Mesquita Sultan Hassan;

Aswan e Abu Simbel

Vila Núbia

A Vila Núbia é um resquício das antigas vilas do povo núbio que vivia entre o Sudão e o Egito. Os Núbios conservaram sua cultura e as antigas tradições. Uma curiosidade sobre o idioma falado por eles é que eles não possuem alfabeto, não possuem escrita.

Vila Núbia em Aswan
Vila Núbia em Aswan

As casas coloridas e cheias de gravuras são o ponto alto da vila. A pintura dá um tom único ao lugar.

Vila Núbia em Aswan
Vila Núbia em Aswan
Templo de Philae (Templo de Isis)

O templo de Philae é dedicado a deusa Ísis, deusa da sexualidade, da fertilidade e da maternidade. O formato do templo segue o mesmo dos outros grandes, com sua entrada imponente e cômodos laterais. O diferente neste templo é o estado de conservação, pois está em excelente estado.

Templo de Philae
Templo de Philae

Uma curiosidade é que ele se localiza a alguns metros de seu local original. Com a construção da grande represa em Aswan, a ilha onde ele ficava foi inundada. Na década de 70, tombado pela UNESCO, foi conduzido um projeto que proporcionou o templo ser transladado para a ilha atual. Peça por peça ele foi desmontado, catalogado e depois remontado no local atual. Trabalho incrível!

Templo de Philae
Templo de Philae

O acesso é feito em pequenos barcos a motor, o que proporciona um passeio muitíssimo agradável. Não percam!

Templo de Philae
Templo de Philae
Passeio de Feluca

Uma das tradições de Aswan são suas felucas, que vem a ser barcos a vela que navegam pelo Nilo nas imediações da cidade. Além de muito bonitos, os barcos proporcionam uma viagem agradável nos fins de tarde. O passeio é uma ótima oportunidade de apreciar o pôr do sol no rio Nilo.

Passeio de feluca em Aswan
Passeio de feluca em Aswan
Mausoléu de Aga Khan

Aga Khan foi um famoso indiano que, com problemas de saúde, foi trazido para a cidade com a promessa de que seria curado pelas areias do local. Pelo visto deu certo, tanto que escolheu permanecer por aqui. Hoje, o seu mausoléu pode ser visto de todos os cantos da cidade, no alto das dunas ao lado do Rio.

Obelisco inacabado

Nesse local vocês visitarão uma enorme pedreira onde os antigos egípcios extraíam as pedras para a construção de seus monumentos. É impressionante verificar que no passado eles transportavam pedras de grandes dimensões por centenas de quilômetros país afora.

Abu Simbel

As duas atrações abaixo estão Abu Simbel. A cidade fica mais ou menos 300km distante de Aswan, o que implica em uma pequena viagem. 

Nós chegarmos no aeroporto de Aswan, vindos do Cairo, e já embarcamos em outro voo, de aproximadamente 30 minutos, até Abu Simbel. Ficamos por volta de 2 horas visitando os templos. Consideramos essa visita imperdível!

Se for possível, fiquem uma noite em Abu Simbel e visitem o local com mais calma.

Os templos

Os templos foram construídos entre 1264 e 1244 a.C. pelo faraó Ranmsés II. O primeiro e maior, destinado ao culto à sua pessoa e também aos deuses Amun Rá e Ptah. O segundo templo, destinado a homenagear a sua esposa preferida Nefertari e também a deusa Hathor.

O templo de Ramsés tem mais de 30 metros de altura e quase 40m de largura e ainda 56 de comprimento. A grande curiosidade sobre estes magníficos templos é que assim como o de Philae em Aswan, estes foram removidos do seu local original por conta da inundação causada pela represa que foi construída. Duas obras de engenharia e arte impressionantes. 

Templo de Kom Ombo

Depois que nosso cruzeiro zarpou de Aswan, nossa primeira parada foi na manhã seguinte em Kom Ombo. O barco ancorou bem do lado do templo. Logo no primeiro horário, nós saímos com nosso guia Ossama para visitar o templo.

Templo de Kom Ombo
Templo de Kom Ombo

O templo de Kom Ombo é um dos mais recentes do Egito, da época Ptolomáica, entre 180 e 45a.C. Há no mesmo local, traços de outros templos bem mais antigos que este, entretanto. Este templo diferente dos demais, é dedicado a dois deuses, Sobek (Deus Crocodilo) e o Deus Hórus (Falcão). Boa parte dessa dualidade pode ser verificada na arquitetura do templo.

Templo de Kom Ombo
Templo de Kom Ombo

É aqui neste templo que podemos verificar nas gravuras da parede, vestígios de instrumentos cirúrgicos/medicinais. Há também um nilômetro na parte da frente do templo, com o qual, os faraós podiam medir a cheia do Nilo e estipular o quanto poderiam cobrar de impostos.

Templo de Kom Ombo
Templo de Kom Ombo
Templo de Edfu

Depois da visita a Kom Ombo, navegamos novamente e paramos em Edfu. Do barco, pegamos uma carruagem (típica na localidade) e chegamos em minutos ao templo de mesmo nome.

O templo de Edfu é o segundo maior de todo o país e foi dedicado ao Deus Hórus. Este templo foi também construído na era Ptolomáica entre 237 e 57 a.C.. Do lado da enorme entrada do templo, na parte de dentro, está uma Mamisi, onde acredita-se que aconteciam partos. As primeiras maternidades do mundo. O grande destaque do templo é o seu pilono, que vem a ser a estrutura da frente do templo, muito bem decorada com cenas das guerras empreendidas pelo faraó. O grande destaque para este templo é o estado de conservação do complexo, um dos melhores do Egito.

Luxor

Para mim a visita a Luxor foi um dos dois pontos altos de nossa viagem pelo Egito. Há que se destacar o Vale dos Reis e o Vale das Rainhas.

No primeiro dia em Luxor, acordamos bem cedo e fomos fazer o nosso passeio de balão, pela empresa Salem Ballons Luxor. Veja aqui no Get Your Guide algumas opções de passeio por lá.

Este foi com certeza um dos melhores momentos da viagem. Foi nosso terceiro voo, antes desse já havíamos voado em Bagan no Myanmar e na Capadócia na Turquia, mas voar aqui foi especial, uma vez que pelo clima quente e seco do local, quase não havia vento, o que proporcionou um voo e um pouso extremamente prazerosos.

Voamos sobre o Vale dos Reis e das Rainhas, e também dos templos e fazendas da região. Foi uma experiência sensacional, que se pudesse eu faria novamente.

Logo depois do passeio de balão o Ossama estava nos esperando com nosso motorista bem em frente aos Colossos de Memnom, que são duas estátuas de aproximadamente 20m que guardavam o templo de  Amenhoten III. Infelizmente, este não pode mais ser visto pois pelas sucessivas cheias do rio Nilo foi totalmente destruído.

Dali partimos para o templo de Hatshepsut.

Templo de Hatshepsut

Hatshepsut foi conhecida como a Faráo mulher mais poderosa de todo o Egito. Seu nome é lembrado de norte a sul do país.

Templo de Hatshepsut
Templo de Hatshepsut

Ela se vestia de homem e muitos acreditam que era para impor respeito, mas outros dizem que era para representar fielmente a figura de um faraó, que era a representação do deus Hórus. Quem estará certo?

Templo de Hatshepsut
Templo de Hatshepsut

O templo possui três andares distintos com uma grande escadaria que leva ao segundo e ao terceiro andares. Vale muito a visita!

Vale dos Reis

Em algum momento da história os antigos faraós perceberam que suas pirâmides mortuárias eram alvos fáceis para depredação e saques, e encontraram um local (estrategicamente colocado) num grande vale com montanhas em formas piramidais, onde ao invés de construírem grandes edificações, eles escavaram tumbas na rocha. Cada Faraó com seu espaço.

Hoje em dia, há aproximadamente 63 tumbas descobertas no Vale dos Reis, sendo que 15 delas estão abertas a visitação, dentre elas as de faraós famosos como Ramsés IV e Tutancamon. O ingresso mais comum compreende a entrada de 3 dessas tumbas, conforme descrito no roteiro.

Você ainda tem a oportunidade de comprar ingresso separado para visitar outras tumbas que não estão incluídas no ticket básico (como a do Tutancamon). O pagamento a parte espanta a multidão, o que eu achei bom, pois você consegue fazer uma visita mais tranquila.

Ao chegar no Vale, você pega um trenzinho que te leva ao local de visitação. Mas a cidade não se limita ao Vale dos Reis, há também dois enormes templos que são dignos de visita.

O estado de conservação das tumbas é incrível, considerando a idade das mesmas. Não perca de maneira alguma essa atração!

Vale das Rainhas

A ideia do Vale das Rainhas é a mesma, e por lá até o momento foram descobertas 80 tumbas, sendo que apenas 4 estão abertas para visitação. A principal tumba é a da rainha Nefertari, a mesma do templo em Abu Simbel. Só para visitar esta tumba, você terá que desembolsar algo em torno de EGP 1000.

Essa região do Egito passa fácil dos 50°C no verão, no outono quando fomos a temperatura estava na casa de 35°C a 40°C.

Templo de Luxor

Turista que se preze faz de tudo por uma boa foto. rs  No segundo dia em Luxor, fomos cedo para o templo de Luxor (a iluminação na parte da manhã é perfeita por lá, já no Templo de Karnak fica melhor de tarde, mas a multidão te atrapalhará a conseguir boas fotos).

Templo de Luxor
Templo de Luxor

O templo de Luxor possui aproximadamente 260 metros de comprimento, e era destinado a adoração do deus Amon. Ao longo dos anos foram feitas muitas adições ao templo. Na sua entrada, como pode ser visto na foto abaixo, há uma estátua de Ramsés II e um obelisco.

Templo de Luxor
Templo de Luxor

No passado existiam dois obeliscos, mas o segundo foi ofertado pelos egípcios aos franceses, e este fica na famosa praça de La Concorde em Paris. O obelisco foi trocado por um relógio que fica na mesquita Mohammad Ali no Cairo, que na prática, nunca funcionou.

Templo de Karnak

Havia no passado um caminho de aproximadamente 2km em linha reta, que levava do templo de Luxor para o templo de Karnak. A cada 2 metros ficava uma pequena esfinge, com cabeça de carneiro (dos dois lados, formando um grande corredor, algumas delas ainda podem ser vistas no templo de Luxor).

Templo de Karnak
Templo de Karnak

O templo de Karnak é o maior de todo o Egito. Sua construção durou milhares de anos(quase dois mil), pois na prática, cada faraó que ocupava o trono do Egito construía uma nova ala. Todo mundo queria deixar a sua marquinha. rs  Neste templo, a parte que mais me chamou atenção foi a grande ala repleta de pilastras, representando cenas cotidianas dos faraós.

Templo de Karnak
Templo de Karnak

Ali você tem a exata noção de sua pequenez. As agências de turismo fazem um passeio de meio dia para cá e nós resolvemos ir até este templo por 2 vezes em dias sucessivos( uma com o nosso guia e outra por nossa conta). Recomendo passar um dia por lá se você deseja ver tudo com detalhes.

Templo de Karnak
Templo de Karnak

O templo fica exatamente de frente para o Vale dos Reis, só que do outro lado do Rio. Vocês acham que há alguma relação neste fato? Eu acho que sim.

Com que destino eu posso combinar uma visita a Egito?

Fica muito fácil visitar todos os países árabes do entorno, como: Jordânia e os Emirados. A complicação maior é para quem quer visitar Israel, uma vez que os dois países não possuem acordos diplomáticos. No nosso caso, tivemos que pegar um voo da Aegian com escala na Grécia.

Veredito

Ficamos maravilhados com nossa visita ao Egito. A cultura milenar, os templos, as pirâmides e o Vale dos Reis foram a combinação perfeita para férias inesquecíveis. Eu tinha um grande receio em viajar para o país e vinha adiando essa viagem a bastante tempo.

Digo que a espera foi recompensada. Não tenho nada a reclamar de nossa visita. A gente tem que entender que o país é pobre, mas na medida do possível está muito bem estruturado. Meu veredito é que vocês não percam tempo. Fiquei muito feliz com a visita.

Nossa viagem foi organizada pela agência Trauco do Egito, eles pronunciam Trafco. Contratamos através na Abreu Turismo no Brasil. Mas perfeitamente possível organizar por conta própria, contando com serviços como Get Your Guide e Viator, além de contato direto com guias locais. Nosso guia foi o Ossama Fadel, que fala português fluente. O contato dele no Instagram é @ossama_viagens. Eu recomendo.

Outras dicas de viagens exóticas

Obrigado a todos pela Leitura e até a próxima.