Machu Picchu: Dicas de viagem e guia completo

Machu Picchu – Dicas de viagem e guia completo

Por @blogaviagem em 07/2018

Hoje gostaria de trazer para vocês a nossa experiência nessa que é uma das 7 maravilhas do mundo moderno (segue a lista das maravilhas do mundo moderno: Coliseu de Roma, Chichén Itza, Machu Picchu, Cristo Redentor, Muralha da China, As Ruínas de Petra, Taj Mahal): Machu Picchu, o destino mais querido para quem visita o Peru.

Para se ter uma ideia, em 2016 foram mais de 1,4 milhão de visitantes só na pequena cidade. Isso dá uma média de aproximadamente 3835 visitantes por dia. Considerando que o sítio arqueológico e o povoado são realmente muito pequenos, é um feito impressionante.

É bom saber que por lá você encontrará gente do mundo todo, a demanda é altíssima e a oferta é limitada, portanto, esperem preços acima da média do restante do país. Hoje o governo divide a subida em 2 turnos, matutino e vespertino. Cada um dos turnos eles liberam a visita de aproximadamente 3000 turistas. Considerando o tamanho do sítio arqueológico, é muita gente mesmo.

Mesmo com tudo isso, é um lugar que não podemos deixar de ir. O lugar é lindo e visitá-lo é mesmo emocionante. Nos sentimos conectados com o lugar. Vou deixar de lado o preâmbulo e vamos logo para os detalhes.

Quando ir?

O planejamento da visita ao Peru é uma questão emblemática, se você deseja ir a Lima, em qualquer época do ano que for a probabilidade de pegar chuva é baixíssima. A questão de Lima é que a probabilidade da cidade estar cinzenta e sem aquele céu azul é muito grande, o céu costuma aparecer azul apenas no fim do ano. Mas se seu interesse é visitar Cusco e Machu Picchu como todo o mundo, o período ideal é de maio a setembro, que você pegará menos chuva por lá.

Índice pluviométrico nas principais cidades do Peru
Índice pluviométrico nas principais cidades do Peru

Em Machu Picchu a temperatura estava muito agradável no meio do ano. Evite a pegadinha de ir no verão, vai estar quente e com passagens baratas, mas vai chover muito. De Dezembro a março TODOS os meses tem índice pluviométrico médio acima de 150mm acumulados. Repetindo, o período ideal para se visitar a cidade é de maio a setembro (sabendo que há uma chance baixa de pegar uma chuvinha).

As temperaturas no meio do ano podem ficar um pouco baixas, especialmente na parte da noite, portanto, preparem a mala para essa possibilidade.

Temperatura média em Machu Picchu
Temperatura média em Machu Picchu

Chegada e saída

Para se chegar a Machu Picchu o caminho é usando o trem da Peru Rail. É muito fácil adquirir tanto as passagens quanto os ingressos para o sítio histórico. Não há necessidade de contratar agência, mas se quiser, recomendo fortemente a Viajes Pacífico. Para essa viagem nós contratamos tudo com uma agência direto do Brasil, antes de pesquisar sobre o passeio e ver que dá para fazer. Se soubesse que não era tão complicado, teríamos montado por nossa conta.

A passagem de trem você pode adquirir diretamente com a Peru Rail no site da empresa, mas lembre-se, se for comprar pacote em agência, eles providenciam tudo isso, verifiquem os detalhes de seu pacote para não pagar duas vezes.

Opções de trajeto

Vi cinco opções de trajetos para se chegar em Machu Picchu, que no caso de vocês deve ser levado em conta para o objetivo de sua viagem.

A primeira é no final do passeio pelo Vale Sagrado você já se hospedar por Ollantaytambo, Urubamba ou Yucay e no dia seguinte seguir para Mahu Picchu no primeiro trem da manhã.

A segunda, é a que eu menos recomendo, mas tomem cuidado, algumas agências oferecem rotineiramente este passeio, a ideia seria estando em Cusco, sair de madrugada para pegar o trem em Ollantaytambo. Não recomendo pois é uma viagem longa, de no mínimo 01:30hr que você vai fazer depois de ter dormido pouco.

A terceira é no final do passeio pelo Vale Sagrado já engatar e pegar o último trem de Ollantaytambo para Águas Calientes. O último trem Expedition sai às 21:00, o último Vistadome sai as 15:37. A ideia aqui é economizar uma diária no vale sagrado ou em Cusco, dormir em Águas Calientes e subir para Machu Picchu logo cedo no dia seguinte. É uma opção cansativa, mas pode sair mais barata do que as demais.

A quarta e última, e conincidentemente foi a que nós fizemos, consiste em pernoitar em Cusco, dormir um pouco mais e pegar o trem direto de Cusco (estação Poroy) para Machu Picchu. Você chegará menos cansado.

A última é fazer a trilha inca caminhando, num trajeto que dura 4 dias, subindo, descendo(na altitude) e acampando. Se você é dado a este tipo de passeio, há várias agências que arranjam esta aventura.

Informações sobre os trens

Há várias opções de horários todos os dias, especialmente se vocês saírem de Ollantaytambo. Fiz uma tabelinha com as informações mais básicas para auxiliar na sua tomada de decisão:

Trajeto Trem Duração Preço por trecho
Poroy-Machu Picchu Vistadome 03:17hr US$95,00
Ollantaytambo – Machu Picchu Vistadome 01:25hr US$95,00
Ollantaytambo – Machu Picchu Perurail Sacred Valley 01:42hr US$160,00-US$170,00
Ollantaytambo – Machu Picchu Expedition 01:30hr US$65,00
Ollantaytambo – Machu Picchu Hiram Bingham 03:19hr US$475,00

Dá para perceber pela variação dos preços que há uma diferença na categoria dos trens, partindo do Expedition até o Hiram Bingham. Mas, de um modo geral o Vistadome é uma excelente opção. O trem conta com janelas até no teto, o que lhe proporciona uma vista interessante de todo o trajeto. No trem eles te servem um lanche e possuem alguns itens para venda, como drinks e comida adicional. Destaco aqui a simpatia do pessoal que trabalha no trem, são geralmente 3 pessoas por vagão e eles dão um show.

Uma informação importante, o maleiro dos trens, diferente dos trens europeus, é bem pequeno, e pelo fato de ter janelas na parte de cima, não tem como colocar bolsas e mochilas por ali, portanto, arrume um jeito de guardar sua bagagem maior, seja em Cusco ou onde estiver por último antes de ir para Machu Picchu (no hotel mesmo), e leve para lá uma bolsa pequena. Nós levamos uma daquelas bolsas tipo de academia. Foi super tranquilo.

Lhamas e Alpacas no Vale Sagrado
Lhamas e Alpacas no Vale Sagrado

O Básico para Machu Picchu (Moeda, visto, vacinas, segurança, saúde, dicas)

Moeda

A moeda no Peru é o Novo Sol (PEN). R$1,00 em 15/06/2018 equivalia a aproximadamente S/ 0,87136. Verifique a cotação atualizada no site oanda antes de ir. A conta é simples, verifique quantos Novos Sóis você consegue comprar com R$100,00. No caso do dia 15/06 conseguiríamos comprar S/86. Ainda na mesma data compraríamos US$26,00 com R$100,00. E com US$26,00 nós conseguimos comprar S/83,72. Portanto, S/83,72 < S/86, então neste dia valia mais a pena levar o real. Mas na prática essa conta pode ser diferente.

Todas as contas são baseadas nas cotações propostas pelo Oanda. Isso pode variar muito na vida real. Por exemplo, eu comprei Novo Sol com dólar, e encontrei diversas cotações tanto em Lima quanto em Cusco. Achei desde S/3,11 até S/3,25 com um dólar. Depende do que o mercado local estiver necessitando. E o que todos necessitam sempre são dólares. Eu comprei os dólares antes dessa crise e paguei algo em torno de R$3,5 por dólar, o que traria nossa conta para S/0,9 por real.

Há que se considerar a forte desvalorização que o Real vem sofrendo frente a todas as moedas nestas últimas semanas, especialmente ao dólar. Pesquise sempre antes de comprar, mas se tiver dúvidas, compre euros para viajar para Europa e para Cuba e Dólares para o resto do mundo.

Visto e Vacinas

O visto é concedido na sua entrada, não há requisitos especiais. O agente de imigração fará algumas poucas perguntas e a não ser que desconfie bastante de você, te concederá o visto. Inicialmente para 30 dias para fins de turismo. É bom ter em mãos as reservas de hotel, casa de aluguel ou afins, seguro saúde(apesar de não ser obrigatório) e comprovante de voo de volta, caso seja solicitado.

Vacina – só será necessário apresentar o comprovante da imunização contra a febre amarela se você estiver indo para a selva amazônica. Machu Picchu é uma área pré-amazônica, não sendo assim obrigatório apresentar este comprovante se estiver fazendo o roteiro para Lima-Cusco-Machu Picchu. Fiquem ligados pois esta política pode mudar.

Segurança

No geral o país é muito seguro, mas as medidas básicas de segurança que adotamos por aqui também são válidas por lá. Por exemplo evitar áreas mais complicadas, especialmente à noite, prestar atenção sempre a seus pertences. Carteiras e celulares nos bolsos da frente.

Vista de Machu Picchu
Vista de Machu Picchu

Saúde

Seguros Promo
Seguros Promo

Recomendo sempre que contratem um seguro saúde para viagens internacionais, já falei sobre isso AQUI. O pessoal do seguro/assistencial te ajudará bastante em casos de necessidades. Mas a principal dica de saúde para quem visita Cusco é com relação ao mal da altitude, também conhecido como Soroche pelos locais.

 

Posso dizer por experiência própria, pois tive quase todos os sintomas. Chegamos a Cusco num voo de manhã, e diferente do que todos pensam, você não fica imediatamente sem ar quando pousa. Na realidade nas primeiras horas você não sente nada, apesar de toda calma recomendada. Ficamos no hotel toda a parte da manhã, conforme recomendação de todos, pegando leve e tomamos um chá de coca aqui e outro ali (o chá é muito ruim, não agradei do paladar). Além do chá de coca, tomei muita água. Um dos nossos guias disse também que era para evitar queijos de qualquer espécie no primeiro dia.

Na parte da tarde nós saímos para dar uma volta pela Plaza de Armas. Fizemos um lanche leve e caminhamos pela região. De noite fomos jantar num restaurante bem bacana. Aqui já sentia alguns efeitos do Soroche, quando terminamos de subir as escadas do restaurante e fomos acomodados em nossa mesa, senti uma dor de cabeça forte, mas que passou rápido. Comi uma carne muito boa, com molho de gorgonzola, achei que não faria tão mal – este foi o meu erro – ao voltar do restaurante dormimos. No meio da madrugada eu acordei com uma dor de cabeça sem precedentes. Doía da nuca até a testa, estava também com taquicardia, em resumo – não dormi.

O dia seguinte

No outro dia qualquer caminhada pequena me cansava e a dor de cabeça persistia, tomei um analgésico como paliativo – remédio que eu havia levado no nosso kit do Brasil mesmo. O almoço também me embrulhou muito o estômago. Na parte da tarde eu não aguentei e fomos para o hotel, dormi uma horinha e acordei novo de novo. A fadiga quando fazia uma subida ainda persistia mas era só ir devagar que dava para aguentar. No outro dia só uma dor de cabeça ocasional que o mesmo analgésico resolveu. Foi uma experiência bem traumática, não via a hora de voltar ao nível do mar.

Fiquem calmos pois isso não se repete com todos. Minha esposa não sentiu quase nada, só uma leve dor de cabeça. De qualquer maneira, comida leve no primeiro dia e um pouco de descanso. Leve um analgésico de confiança caso tenham alguma dor de cabeça. Em casos extremos verifiquem se o hotel em que está se hospedando fornece oxigênio para os hóspedes, senão, não deixe de acionar o seguro, eles estão lá para isso. Uma amiga teve atendimento no próprio quarto, deixaram com ela um balão de oxigênio de um dia para o outro inclusive.

Agora fiquem aliviados, Águas Calientes (ou Machu Picchu Pueblo) está a +/- 2000m acima do nível do mar, e o vilarejo histórico está a +/-2400m acima do nível do mar. O que é bem abaixo do nível onde as pessoas começam a sentir o mal da altitude. Este problema você não terá por lá.

Dicas

Para quem não tem um adaptador universal para tomadas, em Lima eu encontrei tomadas compatíveis com as nossas, sem o terceiro pino – padrão redondinho de dois pinos – em Cusco apenas o padrão de dois pinos achatados com um terceiro redondinho. Leve um adaptador. Se liga se quiser se ligar.

Ingressos

Os ingressos para o sítio arqueológico devem ser comprados no site http://www.machupicchu.gob.pe/ é importante notar que o site usa a tecnologia java, e para isso você deverá ter o plugin instalado em seu navegador. Alguns modelos de celular e tablets não funcionarão.

No site você pode comprar ingressos para Machu Picchu ou para a subida até Machu Picchu com a Montanha Machu Picchu, ou ainda para Machu Picchu com a montanha Waynapicchu. Sim, são 3 roteiros diferentes, com um ponto em comum que é o sítio arqueológico de Machu Picchu, apesar de uma das montanhas ter o mesmo nome do sítio.

Os ingressos para os três roteiros tem os preços a seguir(o último reajuste foi feito em dezembro de 2017, fiquem atentos para alterações):

Roteiro Peruanos ou membros da comunidade andina Estrangeiros
Machu Picchu S/ 64 S/ 152
Machu Picchu + Montanha Machu Picchu S/ 112 S/ 200
Machu Picchu + Waynapicchu S/ 112S S/ 200

As subidas são compradas por turnos (no caso de ir apenas a Machu Picchu) que se dividem em manhã e tarde. As vagas para subir a Montanha Machu Picchu ou Waynapicchu são mais escassas ainda. Os tickets para pegar o transporte que faz o trajeto de subida e descida devem ser comprados com passaportes e ingressos para o sítio arqueológico diretamente no guichê que fica em frente ao ponto de embarque e custam US$24,00 ida e volta.

Quanto tempo ficar e Onde ficar em Machu Picchu?

A primeira pergunta que me fazem é realmente é necessário pernoitar em Águas Calientes. Pois bem, isso vai depender do gosto e estilo de viagem de cada um. Mas, em minha opinião, acredito que valha a pena pernoitar sim. Fazendo um esquema que te permita subir a Machu Picchu duas vezes(uma no dia da chegada, e outra no segundo dia) dormindo apenas uma noite em Águas Calientes.

No nosso caso por exemplo, no primeiro dia o tempo estava maravilhoso, subimos com o guia da Viajes Pacífico. Fizemos várias e excelentes fotos e descemos. No segundo dia, o tempo amanheceu meio fechado. Pudemos dormir até mais tarde e subir às 08:30 – dessa vez sem guia – diferente da maioria das pessoas que acorda de madrugada para subir, chegando lá o tempo ainda estava bem nublado, só foi abrir algumas horas depois.

Agora pense bem, já pensou se você programa uma visita apenas e chega lá em cima e está tudo branco – acontece mais vezes do que você pode imaginar – seu passeio será ainda assim bonito, mas convenhamos, o legal é pegar o clima lindo, ensolarado que te proporcionarão fotos como esta:

Vista de Machu Picchu
Vista de Machu Picchu

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sobre o esquema de turnos para a visita, eles respeitam isso sim, mas é mais para a entrada, uma vez lá dentro, você tem uma rota para seguir, mas se ficar parado em um lugar os fiscais não vão te importunar. Nós subimos 08:30 e descemos por volta de 14:30hs. A questão é que ficam alguns fiscais ao longo do caminho, uma vez que passou pelo fiscal, não tem volta.

Ainda hospedagem

Voltando ao tema da hospedagem, considerando então que ficaremos ao menos uma noite em Águas Calientes, recomendo fortemente o hotel Tierra Viva Machu Picchu. O hotel é novinho e muito bem equipado, ficamos numa suíte no topo do hotel, com uma varandinha que ficava de frente para as montanhas, realmente sensacional. Como tudo por ali fica perto, o hotel fica a uns 300metros da estação de trem e a no máximo 150 metros do ponto de embarque do ônibus para Machu Picchu, muito bem localizado. Gostei muito.

O hotel tem um restaurante no térreo, que é administrado por outras pessoas, mas tem parceria para por exemplo fornecer café da manhã e almoço. O restaurante é muito bom, vale a pena conhecer. A página do hotel pode ser vista CLICANDO AQUI.

Também nos recomendaram o Casa Andina Standard Machu Picchu, essa rede possui bons hotéis por todo o Peru – ficamos num deles em Lima – e não poderia deixar de se fazer presente por aqui. Segue o LINK para a página do hotel no BOOKING.

Se a sua vibe é pagar bem barato onde quer que esteja, nós temos a solução, veja aqui abaixo um consolidado com as melhores ofertas do dia.



Booking.com

Como percorrer Machu Picchu

Aqui não tem mistério. Você chegará de trem e andará pelo vilarejo de águas Calientes à pé. Para subir a montanha, você poderá pegar o ônibus (ingressos são comprados com um dia de antecedência no posto de venda em frente ao embarque e custam US$24,00 ida e volta). Será solicitado seu passaporte e o ingresso para entrar no site histórico. Ou ainda poderá fazer todo o percurso de subida e descida à pé, pela pequena trilha. Acho que o percurso dura umas 4 horas para subir e 01:30h para descer, mas depende do condicionamento de cada um. Comparando, a subida de ônibus dura em média 25 minutos.

Há duas rotas a serem percorridas, mas os pontos muitas vezes coincidem. Diferente do que muitos imaginam, a visita com guias não é obrigatória, mas muito desejável se você vai subir uma vez apenas, pois ele te explica cada um dos pontos de interesse. Na nossa segunda subida nós apenas entramos e nos viramos por nossa conta. Não é nada difícil andar. Os guias ficam de cara perto das roletas de entrada, não se desesperem se vocês não quiserem contratar seus serviços, é só seguir adiante e entrar. Como falei anteriormente, se for sua única visita, ou a primeira, recomendo que contratem, vai ser muito útil.

Lhamas em Machu Picchu
Lhamas em Machu Picchu

Mapa de Machu Picchu

Segue um mapa com os principais pontos de interesse na região.

Chip de dados no Peru

Durante essa viagem utilizamos um chip de dados da Easysim4U, que vem a ser uma afiliada da T-Mobile americana. Ela possui acordo de roaming em mais de 140 países. Fizemos ligações via skype lá de cima do sítio histórico e funcionou perfeitamente. Recomendo que vejam os planos da Easysim4U, clicando aqui.

Veredito

O título de uma das 10 maravilhas do mundo moderno não foi conferido à toa para esta cidade mágica. É tudo muito lindo e muito bem conservado. Sorte nossa que os espanhóis não descobriram esta maravilha na época da colonização, senão, ao invés dos templos que vimos e a cidade inca, veríamos igrejas e um povoado com feições parecidas com as que vimos em Cusco.

Se puderem, façam a visita, não percam. A cidade é sensacional! As pequenas edificações incrustadas no meio das montanhas, o sol, ar puro, a natureza intocada, é tudo muito lindo por ali. Se aventurem e conheçam. Vocês não vão se arrepender.

Outros posts sobre o Peru

Pessoal, até agora já colocamos aqui no blog alguns posts sobre o Peru, entre vídeos, opiniões e roteiros, segue aqui para vocês um link com um consolidado de todos eles. CLIQUE AQUI e confira.

Vida Cotidiana em Cusco
Vida Cotidiana em Cusco

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Até a próxima.


Confira aqui 9 dicas para organizar sua viagem

1 Planeje sua viagem com antecedência, quanto mais perto da viagem, mas caro sairá sua viagem.
2 Vejam nossos posts no blog para auxiliá-los no planejamento.
3 Reserve sua hospedagem no booking.com e garanta os melhores preços, reservando aqui pelo blog você não paga mais nada por isso e ainda ajuda a manter este conteúdo sempre atualizado. Clique aqui e confira.
4 Se for alugar um carro, use um site que te disponibilize as melhores locadoras do mundo todo. Em nossas viagens eu uso sempre a rentcars.com. Clique aqui, faça um orçamento e reserve. 
5 Nunca viaje sem seguro viagem, especialmente para fora do país, alguns casos além de seguro eles disponibilizam assistência, o que te economiza um tempo e evita contratempos. Clique aqui e faça já o seu. Usem o código BLOGAVIAGEM5 e obtenham 5% de desconto na contratação, e se pagarem no boleto ainda ganham mais 5% de desconto.
6 Se você é como eu e não vive desconectado, o ideal é contratar um plano de voz ou dados. Recomendo que vejam os planos da Easysim4U, clicando aqui.
7 Use um aplicativo organizador para sua viagem, como o Tripit ou o Checkmytrip.
8 Veja  também nossas redes sociais: @blogaviagem no Instagram, @blogaviagem no twitter, Blog a Viagem no Facebook, veja nosso canal no Youtube
9 Divirta-se, sempre!