Croácia – visita aos Lagos Plitvice

Dicas de viagem para a Croácia – como conhecer os Lagos Plitvice

Oi pessoal, tudo bem?

Hoje vou contar sobre um dos lugares mais impressionantes que eu já visitei. O Parque nacional dos Lagos Plitvice, na Croácia.

Primeiro como chegar até lá?

Nós contratamos o transporte numa agência de turismo ao lado do nosso hotel – Wanderer travel –  indicada pelo pessoal do nosso hotel em Zagreb. Diferente da maioria dos passeios, não tivemos que pagar adiantado, pagamos direto na agência. O ponto inicial do ônibus era ao lado do nosso hotel, muito conveniente, saímos e depois de pegarmos alguns passageiros pelo caminho partimos para o parque. A viagem durou cerca de 02hs com uma parada no meio do caminho para ir ao banheiro e comprar alguns suprimentos para a estadia no parque.

Há quem prefira ir de carro, realmente, o caminho não me pareceu ser difícil, ainda mais se você contar com um bom GPS, mesmo que seja um aplicativo. Recomendo a viagem como um bate e volta se você for sair de Zagreb ou de Zadar. Se você estiver em Split e quiser visitar o parque, vá para passar a noite num dos hotéis que existem no parque, a viagem de lá deve dar umas 3 hs. Para mim, ir e voltar nessas condições seria muito cansativo.

Entramos no parque pela entrada principal, o parque é extremamente bem preservado e fica na região central da Croácia, entre o litoral e a Capital. Foi fundado em 1949 e desde então vem recebendo mais e mais visitantes a cada dia, especialmente após 1979 quando o parque de 300km2 passou a integrar a seleta lista de patrimônios da humanidade da Unesco.

Os ingressos podem ser comprados na bilheteria do parque, se você for a partir da segunda quinzena de julho, agosto ou em finais de semana da primavera e do verão, lembro que estará sujeito a encontrar um parque bem cheio. Por mais que seja grande, há lugares estreitos e que estão sujeitos a engarrafamentos, o principal deles a bilheteria, portanto, chegue cedo.

No parque há 16 lagos, e nós visitantes, podemos percorrer toda a área pelas passarelas de madeira ou trilhas na beira dos lagos. Há um barco elétrico que faz uma das travessias do lago maior, além de ônibus (trenzinho) que te leva entre 3 pontos distribuídos entre a parte baixa e a parte alta do parque.

Todas as rotas são sinalizadas e o circuito é mais ou menos circular, não há muito como se perder. Existem rotas curtas, médias e longas, cada uma delas iniciando de uma das portarias do parque. Os trajetos variam de 3 horas e meia até trilhas de mais de 08 horas. Lembrando, o ritmo empreendido em sua caminhada pode aumentar ou diminuir o tempo de percurso, não recomendo ficar parando a cada ponto, dá para perceber perfeitamente  o que é e o que não é um ponto de interesse.

Nós fizemos o circuito maior e gastamos cerca de cinco horas e meia para percorrê-lo completamente,  contando um tempo pequeno de espera para apanhar o barco e o trenzinho no topo do parque. No final do dia passamos no café que existe na região central do parque e fizemos um lanche reforçado enquanto esperávamos o restante do nosso grupo para irmos embora. Há banheiros nos pontos de encontro destacados no parque. O passeio pode ser feito com calma, mas como queríamos ver tudo, tivemos que nos esforçar. Andamos cerca de 12km – incluindo subidas e descidas – nessa aventura.

Como disse no começo, foi um dos lugares mais interessantes e impressionantes que eu já visitei. O governo croata faz muito bem em não permitir que se nade  nos lagos ou se alimente os animais, a vigorosidade da natureza que permanece sem ser perturbada chama a atenção.

Vamos torcer para que continue assim por muito tempo.

Super recomendo.