Dicas de viagem – Dia dos Namorados em Ouro Preto – MG

Dicas de viagem – Dia dos Namorados em Ouro Preto – MG

No último dia dos namorados pegamos a estrada para comemorar a data num dos locais históricos mais legais que eu conheço no Brasil, na realidade que passei a conhecer: Ouro Preto.
Gastamos umas 7 horas para chegar, afinal nunca tinha estado na região (shame on me) e ainda estava escuro, ponto positivo para o incrível GPS instalado no Iphone (Sygic Brasil), e um quê do “Quem tem boca vai a Roma”.
Ao Chegar em nosso Hotel (www.villereal.com.br) que ficava em Santo Antônio do Leite, eu falo um pouco mais sobre o hotel aqui,  um distrito de Ouro Preto, nossa primeira surpresa positiva – fomos recepcionados com um espumante, refrigerantes e showzinho na adega do hotel.
 O hotel é lindo, valeu a pena a estada ( que incluía pensão completa). Fomos recebidos com um excelente jantar com massas e caldos – tudo preparado do jeito da roça.
No segundo dia fomos acordados com os sinos da Igreja e galo cantando, ri muito pois só via isso em filmes. Aquele friozinho gostoso para curtir a dois. Tomamos um café da manhã delicioso e partimos para Ouro Preto – que fica a 27km.
O Hotel só pecou no serviço, parece que eles não esperavam casa lotada para aquela data (eram 27 bangalôs).
Já tenho postado fotos aos montes no Instagram e no Twitter, claro que não deixaria de postar por aqui.
Contratamos um guia (credenciado – dentro do ponto de informações da rodoviária) e partimos para a cidade, no início achei que seria um desperdício, mas confesso que valeu a pena, além de conhecer e narrar todos os pontos turísticos o cara sabia tudo das estreitas ruas de Ouro Preto ( inclusive o sentido de circulação dos carros) e nos deu várias dicas úteis.
Só não visitamos as tais minas antigas, estavam muito cheias e eu não quis enfrentar aquela fila toda. Por falar nisso haviam turistas de todas as partes, inclusive do exterior.
Todos os pontos de interesse estavam em perfeito estado de conservação, alguns com padrão de museus que vi apenas no exterior (Museu da Inconfidência e do Oratório – o único do tipo no mundo), foi uma surpresa excelente. Parabéns a administração destes locais e as empresas que apoiam nossa cultura. Não deixem essa bandeira cair.
Diferente do editor do guia 4 Rodas eu não gostei da “Coxinha de Galinha do Barroco”, mas gosto é difícil de discutir… Em compensação o almoço que fizemos no “Bené da Flauta” foi memorável, a começar pelo ambiente do restaurante, passando pelo atendimento e qualidade dos petiscos  que escolhemos saborear, para terminar vale a pena tirar uma foto da varanda para guardar de recordação, não se esqueça de levar uma cachacinha como recordação do local.
Corram as igrejas, os museus e os restaurantes, pena que não tínhamos tanto tempo para gastar, mas Deus nos guiou pelo fim de semana, o tempo estava incrível, não muito frio, não muito quente, uma luz incrível para tirar nossas fotos…
Ao sair de Ouro Preto, fiquei com vontade de voltar, vale a pena prestar atenção na antiga estrada Real, com suas pontes e regatos conservados como eram a 200 anos atrás.
A viagem de volta para o Rio durou 5:30, pois viemos durante o dia e numa estrada muito boa. Fizemos uma paradinha no Roselanches pertinho de Barbacena. E uma parada rápida para abastecer.
Quero voltar àquele hotel em Novembro para aproveitar as jabuticabas que tinham de montes espalhadas pelo hotel. Me aguardem….
Até…
_dsc0774_dsc0799_dsc0812_dsc0831_dsc0851_dsc0883_dsc0921_dsc1013_dsc1146_dsc1176_dsc1187_dsc1206HotelPiscina_hotel